Este é o blog do Adote um Professor, o programa-raiz da União das Árvores (123s), ONG fundada no Rio de Janeiro em 2006. Aqui publicamos relatórios, projetos e sementes para uma Escola Ecológica. Conheça a nossa missão.


2008-07-31

corpoECOlogia: Manuela Berardo, MAI-JUL/08

PUC-Rio - Curso ART-ECOLOGIA
Rio de Janeiro, Brasil – Maio, Junho e Julho de 2008
Teacher: Manuela Berardo

Relatório
MAIO, JUNHO E JULHO DE 2008

Em minhas andanças virtuais, deparei-me com um curso de extensão da PUC-Rio chamado ART-ECOLOGIA cujo objetivo era:

“Apontar novas formas de trabalho educativo que considerem a arte como caminho de conhecimento e contribuam para a qualificação do cotidiano das instituições educacionais em relação às três ecologias: pessoal (cuidar de mim), social (cuidar de nós), ambiental (cuidar do planeta). Incentivar a produção artística a partir da reutilização/reaproveitamento dos materiais”.

Interessei-me imediatamente, por tratar-se de um curso tão em sintonia com o Projeto corpoECOlogia, em que aliamos as três ecologias (cuja fonte conceitual, como no curso, também parte de Félix Guattari) aos fundamentos da dança-educação. O curso tinha o nome Art-ecologia e aconteceria no Campus da Barra, em dez encontros de três horas cada, às quartas-feiras.

Conseguimos um apoio da PUC através da professora Léa Tiriba, de modo que a União das Árvores arcou apenas com as despesas referentes ao material didático. No dia 30 de abril, fui ao primeiro encontro Art-ecológico.

Os encontros eram marcados por:

- Leitura de textos
- Jogos
- Discussões em grupo
- Criação
- Vivências
- Troca

Temas das aulas:

- Aula 1: AS CRIANÇAS QUE FOMOS NÓS, AS CRIANÇAS QUE HOJE EDUCAMOS.

- Aula 2: AS TRÊS ECOLOGIAS

- Aula 3: TEMOS O DIREITO AO CONVÍVIO COM A NATUREZA?

- Aula 4: SOMOS TODOS ARTISTAS?

- Aula 5: SOMOS TODOS ARTISTAS!

- Aula 6: O QUE ELES/ELAS NOS DIZEM?

- Aula 7: O CORPO: INTERAGINDO COM O MUNDO ATRAVÉS DOS SENTIDOS

- Aula 8: O MITO: EXPLICAÇÃO DO MUNDO ATRAVÉS DAS HISTÓRIAS

- Aula 9: NARRANDO NOSSA PRÓPRIA HISTÓRIA

- Aula 10: SOCIALIZANDO NARRATIVAS

A cada aula dois alunos eram responsáveis por produzirem um resumo da aula anterior. Sendo um resumo em forma de texto e o outro a partir do uso de outra linguagem. Segue a síntese da aula 4, pela qual fiquei responsável pela produção textual:

Síntese - aula 21/05

A aula foi iniciada com a brincadeira do gato.

Brincadeira do gato: em roda, o primeiro participante dirige-se ao segundo dizendo “isso é um gato“ e o segundo deve responder “o quê?”, e o primeiro”, novamente, “um gato!”. E o segundo: “ah, um gato!”. Então, o segundo assume o lugar do primeiro, dirigindo-se ao terceiro com as palavras iniciais do primeiro: “isso é um gato”, e o terceiro responde ao segundo “o quê?”, o segundo passa a pergunta ao primeiro: “o quê?” e o primeiro responde “um gato”, o segundo passa a resposta ao terceiro: “um gato” e o terceiro responde enfim “ah um gato!”, passa então a afirmação ao quarto: “isso é um gato” e assim por diante. Esta brincadeira simples nos causou muitas risadas, pois num primeiro momento é difícil de entender e as confusões são muito engraçadas.

Apresentação da síntese da última aula: duas alunas leram suas observações acerca da última aula. Em seguida, discutimos sobre a presença das três ecologias na última aula e no curso. A questão colocada foi que o discurso da turma, pelo menos ao que se refere ao último encontro, estaria ligado enfaticamente à ecologia ambiental.

Prosseguimos com a apresentação do resumo do texto do Vigotsky, 'Arte e imaginação', pela professora Inez e debatemos sobre algumas dúvidas e percepções relativas ao texto.

Partimos, então, para uma dinâmica em grupo: em três mesas encontravam-se três textos distintos. Lemos cada um deles e, em seguida, paramos perto daquele em que tivéssemos tido maior identificação. Assim, três grupos foram formados. Cada grupo recebeu a tarefa de comunicar o seu texto aos demais utilizando uma linguagem diferente da fala e da escrita.

Confabulando linguagens... O primeiro grupo reuniu toda a turma em roda e passou por cada pessoa um papel pardo dobrado em duas partes com uma 'surpresinha' dentro: um CD com o som do mar foi colocado e nenhuma instrução precisa dada à turma. E, então, a magia tomou conta, uma verdadeira experiência estética aconteceu. A 'surpresinha' dentro do papel era uma mistura de tintas branca, verde e azul. O grupo esperava que cada pessoa apenas abrisse e fechasse o papel, porém a relação com a obra transcendeu incrivelmente esta expectativa. O papel foi rasgado, colado em outro, mãos passaram suave e forte pelas tintas, surgiram dobraduras, recortes e transformações nas cores iniciais. Fechamos o ciclo com a experiência guardada e simbolizada pelo papel cuidadosamente dobrado.

Continuamos então, expandindo os nossos sentidos. Assistimos a um grupo dançando ao som de uma música, relacionando-se entre si através do toque e dos olhares. Dançaram a frase de Oscar Wilde onde ele diz que a experiência do homem relaciona-se com as artes que o atravessaram. O último grupo dramatizou o texto relativo aos índios e a mistura racial do Brasil. Criou-se no início uma relação de estranhamento com aqueles que assistiam a performance através de uma língua ininteligível. E o mesmo estranhamento estabeleceu o código que nos levou a risadas com a dança e o entrosamento do grupo.

Após a apresentação de todos, expomos nossas impressões e afetações acerca dos trabalhos apresentados e assim, mais uma aula art-ecológica nos embalou na noite de quarta-feira.

O curso interferiu na minha prática do Projeto corpoECOlogia na medida em que pude me aprofundar nas três ecologias através de outro olhar. Vivenciamos cada uma delas por meio de propostas lúdicas, das quais algumas levei para a sala de aula, experimentando-as com as crianças.

A sintonia do grupo que era composto, em sua maioria, por pessoas que trabalham com educação, tornou as discussões ricas, além de termos trocado experiências e idéias sobre o processo de ensino-aprendizagem. As reflexões enriqueceram a minha prática educativa, pude repensar algumas propostas e atitudes, criando novas formas de ação e pensamento dentro do projeto.

Tive muita afinidade com as professoras do curso, que utilizaram como base teórica muitos autores que me servem de inspiração, tanto no trabalho educativo quanto na vida e também tive oportunidade de entrar em contato com outros que não conhecia, mas me identifiquei. Novos caminhos foram apontados, ao mesmo tempo que, pude concluir que estou no caminho certo.

O contato com a coordenadora do curso, Léa Tiriba frutificou no convite à participação no grupo de estudos do NIMA-EDU (Núcleo Interdisciplinar de Meio-Ambiente da PUC-Rio), do qual faço parte atualmente.

“O Núcleo de Educação Ambiental do Nima está voltado para estudos e propostas de ação/intervenção que contribuam para a qualidade de vida nos campos das 3 ecologias. Inspirado no conceito de Felix Guattari, que tem como referencias as ecologias pessoal, social e planetária.” (www.nima.puc-rio.br)

O grupo de estudos vem me possibilitando novos encontros essenciais na minha jornada ecológica através do encontro com pessoas que pensam a ecologia em sintonia fina com o projeto corpoECOlogia. A cada encontro tecemos nossas idéias, transformando a prática cotidiana. Assim, mais uma parceria foi efetivada, apoiando a missão da ONG União das Árvores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário