Este é o blog do Adote um Professor, o programa-raiz da União das Árvores (123s), ONG fundada no Rio de Janeiro em 2006. Aqui publicamos relatórios, projetos e sementes para uma Escola Ecológica. Conheça a nossa missão.


2008-03-31

corpoECOlogia: Carolina Matos, MAR/08

PATRONATO OPERÁRIO DA GÁVEA (Jardim Botânico)
Rio de Janeiro, Brasil – Março de 2008
Teacher: Carolina Matos

Relatório
MARÇO 2008


No ano de 2007, finalizei meu trabalho no Solar Meninos de Luz, em Copacabana, iniciando em Março de 2008 o projeto na Rocinha. A União das Árvores fez uma parceria com a "Oficina do Sucesso", que há 9 meses oferece espaço para projetos na Rocinha. Desta forma, alguns projetos da ONG serão semeados por lá, como o corpoECOlogia.

A faixa etária de minha nova turma vai de 8 a 12 anos.

Os objetivos do Plano de Curso deste mês são:
- conhecer os alunos de um modo geral, assim como me apresentar para os mesmos;
- começar a construir um vínculo afetivo com as crianças;
- apresentar o curso de Corpoecologia – mostrar através da experiência prática sobre o que vamos aprender e criar...
- apresentar a estrutura das aulas (regras, temas, ritual de chegada, aquecimento, desenvolvimento do tema, ritual de fechamento), iniciando uma alegre "rotina" de trabalho;
- dar início ao 1° módulo do projeto... "O corpo: introdução à ecologia mental".

O corpo: introdução à ecologia mental
Este módulo refere-se ao papel do corpo na constituição da subjetividade, partindo do princípio de que a transformação corporal gera mudanças na postura diante da vida.
São utilizados dois conceitos de psicomotricidade:
- Imagem corporal: auto-avaliação afetiva do próprio corpo.
- Esquema corporal: reconhecimento neurológico da organização do próprio corpo (movimentos, postura, tonicidade, etc).

Conteúdos a abordar:
- Organizações corporais, como os sistemas fisiológicos e suas partes (articulações, ossos, músculos, órgãos, sistema nervoso, etc);
- Estruturação e alinhamento;
- Respiração;
- Conexões e isolamentos;
- Funções mecânicas: dobrar, esticar, torcer;
- Relações entre gestos e posturas;
- Concentração.
Planejamento e registro das aulas:

Aula 1 (18/3/2008)
TEMA: Apresentação dos alunos e do curso.

1) "Flor de Lótus"
Nome dado ao ritual de chegada. Este nome veio da idéia que tive, devido ao formato e composição de uma flor de lótus (redonda e com "infinitas" pétalas); expliquei para os alunos um pouco sobre esta flor e seus significados. A relação principal que podemos fazer com a mesma é o fato de que todos ao chegarem nas aulas de corpoECOlogia serão pétalas únicas de uma mesma flor e que, para darmos início ao nosso lindo trabalho, precisamos nos unir numa roda harmoniosa, formando assim uma verdadeira "Flor de Lótus". Após a formação da Flor, cantamos o nosso "Grito de Paz", que é a vocalização do mantra Om três vezes seguidas.

2) "Apresentação dos nomes"
Como hoje é a primeira aula, peço para que, de pé, um de cada vez diga o seu nome ao mesmo tempo em que executa um movimento com que se identifica.

Depois, repetimos o exercício, mas só que, agora, o aluno fala o nome do colega que se apresentou imediatamente antes, executando o movimento do colega -- e em seguida diz o próprio nome com o seu próprio movimento; desta forma, começamos a trabalhar memória mental e corporal.

Para finalizar, cada um executa somente o movimento no amigo que está antes e depois seu próprio movimento (sem nomes). Eis que, agora, a linguagem corporal se dá de forma efetiva.

3) "Junção dos nomes"
A turma é dividida em três grupos, a fim de criar uma seqüência de movimentos a partir da adição de todos os movimentos individuais de cada um do grupo. Após este processo de criação da seqüência, mostrarei algumas músicas para que cada grupo coloque sua própria seqüência no ritmo da música escolhida. Ao final, cada grupo se apresenta para a turma.

4) Relaxamento com “grito e paz”


Aula 2 (20/3/2008)
TEMA: Imagem corporal

1) "Flor de Lótus"

2) "Desenhando o contorno do corpo"
Divide-se a turma em duplas. Cada dupla terá duas folhas grandes de papel pardo. A atividade é baseada na imagem corporal: um da dupla deita em cima do papel, e o outro deverá desenhar o contorno do corpo do colega. Depois troca-se. Ao finalizarem, cada um ficará com o desenho do contorno de seu próprio corpo.

3) "Auto-imagem"
Com os contornos de seus corpos no papel, os alunos devem agora preencher este corpo com tudo que eles vem neles mesmos. Ao fim, cada um deve se apresentar como se fosse o seu próprio desenho, falando um pouco de si, fisicamente, emocionalmente. Os amigos podem fazer perguntas sobre o que vêem também.

4) Relaxamento com "grito e paz"


Aula 3 (25/3/2008)
TEMA: Imagem e percepção corporal, e lateralidade

1) "Flor de Lótus"

2) "Dança o ceguinho"
Em duplas, um será o 'ceguinho' e o outro o 'amigo-guia'. Uma música é colocada, e o 'ceguinho' deve dançar livremente. Alguns comandos serão dados como: mexer somente uma das pernas, dançar com movimentos retos, mexer braço esquerdo e ombro direito, etc. Dessa forma, o 'amigo-guia' não deverá tocar em seu 'ceguinho', mas auxiliá-lo verbalmente quando necessário, como por exemplo: dar dois passos para trás, girar para esquerda, entre outros -- a fim de não deixá-lo bater em nenhum outro 'ceguinho' ou nos objetos da sala. Depois troca-se.

3) 'Dança das coordenadas'
Devido à dificuldade de percepção dos alunos quanto às lateralidades, propus esta atividade improvisada, para que comecem a se familiarizar e internalizar o que são os lados 'direito' e 'esquerdo'.

Todos os alunos, um ao lado do outro e numa mesma linha, devem dançar seguindo as coordenadas que darei (frente, trás, lado esquerdo direito), e também indicarei o número de passos para cada coordenada.

O objetivo deste jogo-dança é terminar a dança exatamente no mesmo lugar onde começaram. Contudo, este objetivo não será dito -- para evitar 'trapaças'. Direi apenas que o objetivo é que dancem para os lados que eu for indicando -- como naquele jogo eletrônico em que as setas acendem para que pisemos sobre elas conforme a música.

4) Relaxamento com 'grito e paz'


Aula 4 (27/3/2008)
TEMA: Imagem e memória corporal, e dissociação das partes

1) "Flor de Lótus"

2) "Vendo o corpo sem os olhos"
Uma música de ritmo lento é tocada. Todos dançam livremente. Enquanto isso, darei alguns comandos de estímulo, tais como: dançar a partir do braço direito, dançar com a face, entre outros. O propósito é que, aos poucos, os alunos consigam dissociar cada parte do corpo, ganhando propriedade para cada uma delas.

Quando a música parar, deverão parar onde estavam, e fechar os olhos. Chamarei um a um pelo nome, para que descrevam em voz alta como o seu corpo está. Pedirei para que memorizem esta 'pose 1'. Colocarei outra música, mas agora, num ritmo rápido e, da mesma forma, deverão parar e memorizar a 'pose 2'.

3) "Mostrando e relembrando as poses 1 e 2"
Para reforçar a percepção e memória corporal, pedi que cada um mostrasse para a turma, um de cada vez, as poses 1 e 2 -- agora de olhos abertos. Assim, fui desenhando as poses de cada um, para que o exercício ficasse registrado para a próxima aula, caso eles esquecessem.
4) Relaxamento com "grito e paz"


Este primeiro mês foi excelente, pois fui muito bem acolhida pelas crianças e pelos coordenadores da Oficina do Sucesso, assim como pela diretora, Cecília.

Em termos corporais, vejo que os alunos têm muita facilidade de se movimentarem, mas ainda precisam trabalhar o refinamento e a propriedade dos mesmos.

Ao princípio estavam um pouco tímidos, mas conforme percebiam que eu participava com eles, iam criando mais confiança em mim, e sentindo-se mais à vontade a cada aula.

Quando trabalhamos imagem corporal, notei que a imagem externa, principalmente a das roupas é o mais importante para eles nesta fase. Alguns esqueceram mesmo de identificar algumas partes do corpo como orelhas, unhas, entre outras -- para dar prioridade às roupas e aos acessórios. Mas isso é muito natural, na fase da pré-adolescência, onde é comun visar muito mais "o que se mostra" do que "o que se é de verdade".

Nesse sentido, fiz algumas perguntas instigadoras, como: "onde estão as partes do seu corpo para que essas roupas possam vestir?", e "como você seria se não tivesse unhas", ou "o que tem de mais interno no corpo?". A partir disto, eles próprios começaram a se questionar e alguns colocaram os ossos, as unhas, entre outras partes que estavam "faltando".

Outro ponto que julguei importante foi a dificuldade de distinguirem os lados esquerdo e direito. Dessa forma, criei e continuarei criando atividades para que internalizem cada vez mais essas lateralidades.

Por fim, o que ficou bem evidente foi a percepção e a imagem que cada um tem de seu corpo. O olhar externo de cada um é excelente, mas quando peço para que me descrevam a sua própria imagem, eles me passam suas percepções internas e não do corpo com um todo. Por exemplo: "meu corpo está bem", "meu dedo tá doendo", "meu braço tá reto". Assim, trabalharei com eles o refinamento desta auto-imagem e da percepção deste corpo, como todo e como partes deste todo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário